Opinião

Poesia na Intimidade

A saga da Emilinha | O banho

Paula Teixeira de Queiroz

Paula Teixeira de Queiroz

Escritora

Tem estado muito calor, muito calor, e a Emilinha apesar do abanico a fazer de leque que comprou no “chinês” não tem parança. Não dorme de noite, olheiras cavam-lhe o rosto miúdo, escorre-lhe água pelo cabelo gorduroso, aqueles tratamentos todos que a mãe lhe fazia não deram em nada: era cerveja preta após a lavagem, era sabão azul e branco – credo, ainda tinha ficado careca! -, era sabão de alcatrão, sabão de seda, sumo de limão, raisparta tanta invenção para a melena lhe escorrer pela cara magra e macilenta. Até parecia a melena do Hitler a tapar-lhe o olho, não fora o Taky creme depilatório facial e também tinha o mesmo bigode.

Vá votar… escolha para ter direito a reclamar!

José Andrade

José Andrade

Aposentado

Domingo, cumprindo o calendário eleitoral, o ‘bom povo’ português temente e desconfiado,  vai ter uma nova oportunidade de poder cumprir o ritual democrático que lhes permite o exercício de um Direito cumprindo um Dever.

O Direito de escolher quem querem que governe a sua Câmara Municipal, as suas Freguesias, cumprindo assim o Dever de Votar.

Parabéns para Ana Rita Rego de Famalicão

Antônio Cunha

Antônio Cunha

Empresário

Somos primos em grau bem distante. Mas temos em nossas veias um pouco das mesmas origens vindas da Família Vale Rego - Em Geraz do Minho. Alegro-me em ver na Internet a notícia de que a neta da prima Quelinhas de Famalicão foi a ganhadora da medalha de ouro em artes marciais, conquistada na Holanda. Terra das tulipas. Terra onde vice, agora, minha sobrinha Beatriz. Como sempre digo: o mundo é grande mas a internet nos aproxima. Parabéns Ana Rita Rego.

MELGAÇO: um concelho abandonado à sua sorte (1880)

Valter Alves

Valter Alves

Professor

Em 1880, o concelho de Melgaço e a sua Câmara Municipal enfrentavam uma grave crise financeira e a terra parecia abandonada pelo poder central à sua sorte. Isso é o que podemos concluir das palavras do deputado Luiz José Dias no Parlamento na sessão de 9 de Abril desse ano.

Escravos

Armando Caldas

Armando Caldas

Médico

Supostamente a escravatura foi abolida entre os séculos XIX e XX.

No entanto, nos dias que correm, um grande número de pessoas vê-se na contingência de ter de trabalhar com cada vez menos direitos e cada vez mais obrigações, coagidos por capatazes que mais não são do que homens de mão do poder, sempre disponíveis para uma fidelidade cega aos seus patrões, de modo a poderem continuar a se manter nas suas boas graças e continuar a ser uma extensão da mão sem alma que vergasta os direitos, as liberdades e garantias em nome dos direitos, liberdades e garantias.

As Pessoas e os Partidos Políticos

António Fernandes

António Fernandes

Chefe de Serviços em Multinacional de Telecomunicações

Quando um partido político não é próximo das pessoa e faz questão em mostrar aos seus militantes, anónimos no sentido abstracto do termo porque ao preencherem a ficha de inscrição esse anonimato não existe, mas que, para além dessa formalidade, a sua participação é dispensada, essa sua forma de estar na política sem o calor humano que devia ser a sua seiva, não é, nem na essência e muito menos no conteúdo, um verdadeiro partido politico.

Onde param os donativos dos emigrantes para as vítimas dos fogos na região Centro?

Daniel Bastos

Daniel Bastos

Professor

No início do mês de setembroa imprensa nacional repercutiu nas páginas de vários órgãos de informação declarações do autarca de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, a solicitar que o Ministério Público investigasse para onde foram canalizadas as verbas recolhidas por várias entidades para as vítimas do incêndio que assolou a região em junho.

BICADAS DO MEU APARO: Berloquistas ou a Arte dos Piercings

Artur Soares logotipo

Artur Soares

Artur Soares

Escritor d' Aldeia

É sobejamente conhecida a matança do porco em qualquer canto do país.

Nuns lados mais que outros, o acontecimento é (era) geral. No Norte, sobretudo no Minho, poucos eram os lares que não tinham “a festa da matança do porco”.

Poesia na Intimidade

Páginas

Subscreva RSS - Opinião