Opinião

Na Ponta da Língua - Histórias, Memórias e Inovação na Emigração

Daniel Bastos

Daniel Bastos

Professor

Nos últimos anos a emigração portuguesa tem captado o interesse dos investigadores sociais e da comunidade académica, como demonstra a realização de diversas iniciativas e projetos de investigação, que não são alheias ao peso estruturante que o fenómeno migratório ocupa em Portugal. 

MEMÓRIA ALEGRE (III) : Se te fosses fudicar...

Albino Kilombo Albino Kilombo
Operário em Construção

 Passados os rigores do inverno, mal o garrido primaveril desponta nos campos, arauto alentador da época das sementeiras, andasse o tempo frio ainda, ou solarengo a pedir refrigério das vestes grossas, seguro era, em domingos marcados, depois da missa dominical, logo à primeiras das três com que o senhor abade ocupava as manhãs a celebrar o dia do Senhor ─ ainda a noite era rainha sobre o rei sol ─, darem de chofre os paroquianos com a visão da reluzente camineta, brilhante como um astro, de taipal  descido na horizontal, que correntes de aço presas aos varais espeavam.

BICADAS DO MEU APARO: o melhor e o pior

Logotipo Bicadas do meu Aparo

Artur Soares perfil

Artur Soares

Escritor d' Aldeia

Numa curta entrevista dada a um jornal diário, o nosso Cardeal D. Manuel Monteiro de Castro, que pela primeira vez participou no conclave para a eleição do Papa Francisco, referindo-se ao momento difícil (económico) que Portugal atravessa, afirmava que para além da unidade nacional indispensável, “um dos pontos muito importantes é que se trabalhe em Portugal e não no estrangeiro, dando mais valor ao que temos e não viver tanto do que se importa”.

As palavras da prima da Emilinha

Paula Teixeira de Queiroz perfil

Paula Teixeira de Queiroz

Escritora

Se a Emilinha não me contasse a mim contava a qualquer outra pessoa, ela tinha aquela pendência, aqueles repentes em que precisava de falar e contar tudo o que viveu e ouviu. Era difícil ficar calada com tanta gente à sua volta a contar balelas e mentiras, historietas da treta sem interesse nenhum, o que comeu ao almoço, o que ia fazer para o jantar, e passavam horas naquilo, o que o neto disse, o que o outro neto fez, sempre a gabarem-se de qualquer coisa que não fizeram, ou a destruir alguém que fez.

Os Seguidores dos Donos das Causas Sociais

António Fernandes

António Fernandes

Chefe de Serviços de Multinacional de Telecomunicações

Juntou os seus seguidores à mesa da negociação para a distribuição de um lugar na citada como se fosse o dono da casa.

Acontece que não é, o dono da casa.

A casa foi tomada de assalto há muito por alguém que teima em lhe segurar a chave até ao limite e dá instruções precisas ao porteiro para que os personagens escolhidos se acomodem nos sofás, uns. No vão da escada, outros. E , amontoados, os restantes.

Sabedoria. Prudência. Ética.

Diamantino Bártolo

Diamantino Bártolo

Escritor

A turbulência que se verifica no mundo, praticamente em quase todos os setores da sociedade, aponta para que os cidadãos, independentemente do seu estatuto, se unam no sentido de ultrapassar divergências e, com cedências recíprocas, construam alternativas, pelo diálogo, para que possam ser resolvidos os problemas que, de certa forma, atingem todas as pessoas.

Poesia na Intimidade

Estão a envenenar a Serra D’ Arga

Joaquim Vasconcelos

Joaquim Vasconcelos

Engenheiro Civil e Ambientalista

Em out.de 2017, embora o Comité de Peritos da União Europeia (EU) decidisse adiar uma votação sobre o prolongamento da licença para uso do herbicida glifosalto cujo uso estava agendado para ser proibido em Dezembro, os responsáveis nem por isso abandonaram a ideia de o utilizar como solução para eliminar o infestante que se está a instalar na Serra de Agra, a hakea sericea - conhecida como háquea-espinhosa - "que se reproduz com maior rapidez com os fogos florestais", embora existam outras formas de a combater (mecanicamente) sem recurso a este herbicida'.

BICADAS DO MEU APARO: Máscaras diárias e de diversão

Logotipo Bicadas do meu Aparo

Artur Soares perfil

Artur Soares

Ecritor d' Aldeia

Pode não parecer, mas todo o homem gosta de sair da rotina. Uns mais que outros. E há necessidade de variar, de modificar hábitos, mudar de visual, de várias coisas e, até aqueles que usam e abusam de mudanças, gostam de as viver nem que seja por uns minutos, dias ou épocas. E é no início de cada ano que o povo, normalmente, inicia a saída da rotina: começa-se pelas festas do Carnaval, da Páscoa a seguir, pelos Santos populares, férias e Natal. E com base nestes tempos em que o cristianismo está quase sempre por trás de toda a mudança, sai-se da monotonia.

Na Mira dos Ultras!

António Fernandes

António Fernandes

Chefe de Serviços de Multinacional de Telecomunicações

Quando o poder se lhes escapa não olham a meios para atingir os propósitos sejam eles quais forem Os meios que, os propósitos, estão definidos por princípio ideológico por mais que o não queiram admitir.

Páginas

Subscreva RSS - Opinião