“Traga as suas ideias, conheça as nossas”- desafio dos comerciante de Monção

O título diz tudo. A reunião entre a autarquia monçanense e os comerciantes e empresários tendo como ponto de trabalho a preparação da programação de Natal resultou numa iniciativa de partilha de opiniões e objetivos na procura de um período festivo e religioso do agrado de todos.

Com o auditório da Biblioteca Municipal de Monção a rebentar pelas costuras, frase feita e completamente verdadeira, o presidente do município, António Barbosa, mostrou-se “surpreendido e satisfeito com o número de comerciantes e empresários presentes”, revelando que “este encontro é um sinal claro que é possível reverter o ciclo negativo e fortalecer o comércio tradicional junto da população local e visitantes”.

A seu lado, o Vereador da Ação Social, Cultura e Turismo, João Oliveira, apresentou as linhas orientadoras, ainda em construção, do que será a programação deste ano, solicitando opiniões e sugestões aos presentes para que esta época tenha os ingredientes certos: animação, público e rentabilização económica.

Partindo do pressuposto que “este é o ano zero e não é possível fazer tudo o que queríamos”, João Oliveira adiantou que a iluminação de Natal será alargada e que a animação será reforçada com a presença de figuras ligadas ao Natal e grupos musicais. Em horas específicas, principio e final da tarde, percorrerão as ruas do centro histórico e avenidas/urbanizações envolventes.

Está igualmente prevista a disponibilização de tapetes vermelhos aos comerciantes/empresários e a criação de uma rede de presépios, em tamanho real, dispersa por toda a vila. Trata-se de uma parceria com as coletividades locais, contando ainda com o apoio da Associação de Artesãos Post`Arte que, ao lado de cada presépio, colocará dois expositores com artigos alusivos à época.

Na Praça Deu-la-Deu Martins, vai situar-se a “Casa do Pai Natal”, com oficina de manualidades/ateliês infantis, e quatro expositores para venda de chocolate quente, crepes e bolanhas, iniciativa da Comissão de Festas em Honra à Virgem das Dores.

A grande novidade é uma pista de gelo que, com toda a certeza, fará a delícia dos mais pequenos. Funcionará entre as 14h00 e as 20h00 e terá como “chamariz” o facto de poder ser utilizada gratuitamente, durante um tempo determinado, pelos clientes do comércio tradicional.

Exemplificando: uma pessoa compra um artigo ou produto em qualquer comércio tradicional e recebe um voucher (distribuído pela autarquia pelos comerciantes) que lhe permitirá usufruir da pista de gelo. O acesso ao voucher depende do valor da compra, o qual fica a critério do comerciante. O tempo gratuito na pista de gelo, em análise, não deverá exceder os quinze minutos.

Falta dizer que toda esta animação decorre entre 16 de dezembro e 7 de janeiro, contudo, o ponto de partida acontece no dia 30 de novembro, quinta-feira, pelas 18h00, quando tiver lugar a ligação da iluminação de Natal e dos estabelecimentos comerciais. “Juntos, vamos iluminar Monção” é o lema deste ato simbólico que marca o inicio da festividade.

Concluída a apresentação, seguiram-se várias intervenções, com opiniões e sugestões dos comerciantes, que irão contribuir para o sucesso religioso, festivo e económico da quadra natalícia. Muitas serão englobadas no programa, na logística e na promoção.

De ressalvar, a forma positiva como foram recebidas as iniciativas anunciadas pela autarquia e a disponibilidade manifestada pelos comerciantes na iluminação e decoração das montras e no prolongamento de abertura ao público na semana anterior ao Natal.

No final, com o auditório vazio, saltava à vista o número pouco habitual de cadeiras. Mais que o normal. Para tantas pessoas foi necessário recorrer à sala multimédia e à sala infanto-juvenil. Mais que uma constatação é uma mensagem de esperança no futuro do comércio tradicional.