Poesia na Intimidade

Ana Pereira

Ana Pereira

Poetisa

Perfume

O Perfume

Desço da tela

esfumada

em tons esbatidos,

aos teus lábios.

 

Acende o rastilho.

Inspira-te.

Expira-me. 

 

Sente o calor

da insónia.

Perde o chão.

 

Desfia-me

em partículas suspensas.

Torno-me combustão.

 

Revolvo-te as entranhas

em ansiedade crescente.

Fica o hálito baço.

No teu corpo fechado,

fico em ti.

Ficas sem cor.

 

Flutuo no vazio,

nua.

Respira o ar

onde deitas

o meu corpo.

 

 

As labaredas acendem

a tua carne.

Tolda-te o sentido.

Desfazes-me.

Recolhes as cinzas.

 

A eternidade efémera

consolida-se.

 

Sente a humidade

da terra.

Apaga a fome.

Sente o cheiro

da rosa insipida.

 

Fecha os olhos.

Sentirás o encanto

do meu perfume.

 

Autor:

Ana Pereira
Outubro 6, 2017

Partilhar

Do mesmo autor...

Poesia na Intimidade Setembro 2017
Poesia na Intimidade Outubro 2017
Poesia na Intimidade Setembro 2017
Poesia na Intimidade Novembro 2017
Poesia na Intimidade Setembro 2017