OLHARES | In Memoriam: Luis Gomes Fernandes (08.03.1941-24.10.2017)

Manuel Amial perfil

Manuel Amial

Inspetor Tributário

Aposentado

A notícia do falecimento do amigo Luís Gomes Fernandes, aos 76 anos de idade, no passado dia 24 de Outubro, correu célere em Vila Praia de Âncora, deixando consternada a comunidade, os amigos e a família.

Luis Gomes Fernandes, mais conhecido por 'Luís Poipa', para além do seu mister de comerciante na Rua 31 de Janeiro, era uma pessoa de trato muito afável, sobejamente conhecido, um bom conversador, muito atencioso, com uma memória prodigiosa e um defensor acérrimo da sua terra.

Luís Gomes Fernandes

Luís Gomes Fernandes 

Uma pessoa que teve um larga intervenção política tendo sido Presidente da Comissão Administrativa da Junta de Freguesia de Vila Praia de Âncora, após o 25 de Abril, entre 1974 e 1976, e esteve na base da criação do Ciclo Preparatório de Vila Praia de Âncora, nunca se eximindo a tomar posição sobre a defesa dos interesses da sua terra.

Ainda recentemente me dizia que via com mágoa o arrastar da abertura da Travessa do Teatro, prometida há quatro anos atrás, e muitas vezes me falava com entusiasmo do projeto para um espelho de água na foz do Rio Âncora que tinha outro saudoso e distinto ancorense, o Senhor Adérito Moreira, que permitisse usufruir daquele espaço, possibilitando-lhe inúmeras utilizações nomeadamente de lazer e turísticas.

Destaco também uma vasta participação cívica do Senhor Luís como membro fundador do Centro Cultural e Social de Vila Praia de Âncora, do qual fazia atualmente parte da sua direção e que comigo partilhava.

Também como Membro da Direção da Associação de Pais e Encarregados de Educação das Escolas de Vila Praia de Âncora, nos vários anos em que a ela presidi, e durante os quais travamos com êxito várias causas, como a exigência de novas instalações para a Escola EB 1,2 de Vila Praia de Âncora, a disponibilidade de refeições nas Escolas Primárias, a dotação de barreiras protetoras na passagem de comboio junto aos Bombeiros, na exigência da construção de uma passagem superior na EN13 que deu acesso seguro aos alunos e possibilitou a passagem de bicicletas, no apoio à remodelação da Escola Ancorensis, na fundação da Federação das Associações de Pais do Distrito de Viana do Castelo e na colaboração ativa na Confederação Nacional das Associações de Pais (CONFAP).

Foi também a “alma mater” e Membro ativo da Comissão dos Combatentes da Guerra do Ultramar do concelho de Caminha, tendo feito uma comissão de serviço em Moçambique (na então Lourenço Marques), de 26.08.1963 a 31.08.1965, na Companhia da Polícia Militar n.º 498. Graças ao seu convite integrei esta Comissão, que reuniu pela primeira vez em 07.03.2003, e mercê do seu empenhamento foi possível implantar o Monumento aos Combatentes em Vila Praia de Âncora, colocar uma placa em Caminha no antigo edifício do turismo com o nome dos oito mortos do concelho na Guerra do Ultramar, ao lado da placa evocativa dos mortos na 1.ª Grande Guerra, colocar lápides nos cemitérios onde estão sepultados (Arga de Cima, Moledo, Vila Praia de Âncora e Vilar de Mouros), atribuir nomes de ruas nas respetivas freguesias e a realização anual das Cerimónias do 10 de Junho e Almoço dos Combatentes.

Guardo dele a imagem de um bom companheiro, de uma pessoa muito leal, amigo do seu amigo e sempre preocupado com o bem estar do seu semelhante, deixando uma lacuna insubstituível na nossa Comunidade.

Um Homem que deixou rasto! Relembrá-lo e apontar o seu exemplo é um também um dever cívico!

Obrigado, Amigo e Senhor Luís. Descanse em paz.

 

Vila Praia de Âncora, 2 de Novembro de 2017

NOTA DO DIRECTOR/EDITOR:

Em nome pessoal e do Minho Digital, queremos partilhar desta simples mas significativa Homenagem a este AMIGO que prematuramente nos deixou.

A morte, qualquer uma, é cruel, mas a de um AMIGO dói mais. É cruel pelo que deixa: a ausência, a saudade, as lembranças, o vazio...

A toda a sua Família apresentamos os nossos sentidos pêsames.

Manso Preto