O “Roteiro de Proximidade” é uma aposta ganha

Dia 30 de outubro. À tarde, o presidente da autarquia, António Barbosa, na companhia de Pedro Rodrigues, presidente, e Ana Esteves, secretária, visitou a freguesia de Longos Vales. À noite, realizou-se a primeira reunião descentralizada do executivo municipal. Casa cheia com público interventivo.

 

A primeira reunião descentralizada do executivo municipal realizou-se no dia 30 de outubro, segunda-feira, na sede da junta de Longos Vales. Marcada para as 21h00, a “ordem de trabalhos” do presidente da autarquia, António Barbosa, começou algumas horas antes com deslocação a vários locais da freguesia e contactos com a população local.

Acompanhado pelo presidente da junta, Pedro Rodrigues, e pela secretária, Ana Esteves, o autarca monçanense falou, conviveu e reconfortou muitos populares afectados pelo flagelo das chamas que, no domingo, 15 de outubro, atingiram a freguesia.

Roteiro de proximidade

António Barbosa aconselhou as pessoas afetadas a comunicarem as suas perdas à junta de freguesia para que possam ser recompensadas pelos danos sofridos. Disponibilizou total colaboração do município para que o levantamento seja exaustivo e abrangente, não deixando ninguém de fora.

Numa das habitações atingidas pelo fogo, o autarca reforçou o objetivo de garantir prioridade à protecção civil. Referiu que “aquilo que aconteceu no dia 15 de outubro não voltará a repetir-se”, sublinhando que “a gestão do território será feita com diálogo mas também com rigor na aplicação da lei”.

Nesta deslocação a Longos Vales, onde a cada passo o “roteiro de proximidade” se transformava em momentos de carinho e autenticidade, António Barbosa visitou o Centro Interpretativo do Castro de S. Caetano. Logo ali, geminaram alguns planos para amadurecer no futuro. O objetivo é promover aquele espaço em termos turísticos e pedagógicos.

Roteiro de proximidade

E o Museu Etnográfico de Longos Vales? Na presença de Eduardo Cardoso, mentor do projeto, António Barbosa tomou contacto com o valioso espólio existente que retrata a nossa identidade coletiva e nos remete para uma sensação de ruralidade que não despega, porque queremos, da nossa paixão pelas coisas da terra.

À saída, ficou a ideia que há muito a fazer para a valorização deste museu. E a certeza que o primeiro passo será a sua transferência para um espaço mais funcional e digno. Onde? Ainda é cedo. Para já, o executivo vai trabalhar em opções que tem de ser analisadas, ponderadas e, por fim, executadas.

Casa cheia com público interventivo.

A tarde estava a responder afirmativamente aos objetivos da visita mas a noite trouxe algo verdadeiramente surpreendente. Uma sala repleta para assistir à primeira reunião descentralizada do executivo municipal. Cerca de uma centena de populares disseram “presente” na sede da junta. Se houvesse dúvidas, ficavam desfeitas. O “roteiro de proximidade” é uma aposta ganha.

Roteiro de proximidade

Vieram com interesse nos pontos da ordem de trabalhos mas também para abordar com o executivo as suas preocupações e anseios. Quais são? Protecção civil, acessibilidades, abastecimento de água, distribuição de correio, saneamento, promoção turística. Também houve quem viesse apenas para agradecer. Aquilo que já foi feito.

António Barbosa respondeu a tudo. A água em Guimil, que sofreu alguns reajustamentos com a colocação de quatro bocas de incêndios, avança com a instalação breve do estaleiro. O saneamento básico, adjudicado juntamente com Troviscoso, começa em Janeiro nos lugares do Corgo, Pedra, Bouça e Serzedo.

O gabinete de proteção civil está a ser preparado, ouvindo tudo e todos, para que tenha todas as condições humanas e funcionais que permitam prevenir e resolver situações graves. Aos afetados pelos incêndios, deixou uma certeza: “Infelizmente, Monção também ardeu e as pessoas que perderam o que tinham têm de ser ressarcidas”.

Quanto à valorização turística da freguesia, António Barbosa abordou o Centro Interpretativo do Castro de S. Caetano e o Museu Etnográfico de Longos Vales como duas estruturas a potenciar em complementaridade com o vasto património monumental que a freguesia tem para oferecer.

No final, duas palavras: solidariedade e gratidão. Ambas dirigidas à população local que, naquele domingo, 15 de outubro, mostrou um sentido de entreajuda enorme, cheio de coragem e altruísmo, que revela o humanismo dos habitantes de Longos Vales.

No regresso, presidente e vereadores trouxeram um pequeno cesto com cebolas colhidas na freguesia, gentilmente oferecido pelo executivo local. Um gesto de bem receber.