MEO inacessível nas Festas da Agonia

Viana do Castelo esteve sem rede móvel PT/Meo desde as 21.00 horas da noite de quinta-feira até às 24.00 horas de sexta-feira. Mais de 24 horas! As outras redes funcionavam mas não conseguiam ligar para números da rede UZO/PT/MEO.

Um dos clientes da operadora queixou-se ao Minho Digital que se viu impossibilitado de contactar com o filho menor durante vários horas e assistiu a uma pessoa caída no jardim público na marginal, largos minutos, à espera de assistência rodeada de vários policias sem rede nos telemóveis.

É inconcebível que num momento de tanta afluência de forasteiros a Viana em que normalmente há gente que se perdem ou se desencontram estejam impossibilitadas de utilizar um serviço que pagam.

Outra questão que se levanta é, no caso de ter ocorrido algum acidente grave, como teria sido sem comunicações?

Contactada a MEO, Guilhermina Bandeira confirmou que «havia registos de avarias nos dias 4, 11 e 20 deste mês, entretanto superadas», mas que a 17 e 18, as datas em causa, «nada foi reportado». Adiantou, ainda que «hoje (segunda-feira ao princípio da manhã) estamos com avarias na zona oeste da cidade de Viana». Sobre as causas da impossibilidade de comunicações por parte da operadora, defendeu que as prováveis causas seriam «por causa dos incêndios».

O MINHO DIGITAL contactou os Bombeiros que ressalvaram «não ter havido incêndios graves», «resumindo-se a pequenos focos»  no concelho de Viana e os que houve foram ligeiros e rapidamente combatidos, dando como exemplo um em Geraz do Lima e outro em Santa Luzia. A mesma fonte referiu que, por exemplo, um mês após a tragédia de Pedrógão Grande a MEO «continuava inoperacional», afectando «não só a recepção de televisão, mas também meios de comunicação como internet e móveis, a operadora que utilizamos». Os meis alternativos utilizados pelos Bombeiros e autoridades envolvidas no combate aos incêndios são feitos, pela rede ROB (banda alta em VHF) e o polémico SIRESP.