Mártir São Sebastião festejado em Argela para agradecer os 500 anos

São Sebastião foi um militar; um militar que, mais ou menos às escondidas, converteu muitos dos seus colegas, e até alguns dos seus chefes e comandantes. Até que voz de tal chegou aos ouvidos do Imperador Diocleciano e este, sumamente irritado com aquele que queria seu amigo, ordenou que lhe causassem a morte.

Segundo a tradição, Sebastião pereceu sob a chuva de flechas que, quase como especial divertimento, os seus antigos colegas de armas sobre ele, em campo aberto mas amarrado a uma árvore, dispararam como que em exercício suplementar de tiro ao alvo.

Em ano comemorativo dos 500 anos do cruzeiro da igreja paroquial, a Comunidade cristã lembra todos os que nestes 500 anos foram os mártires de Argela. E porque o lema do Ano Pastoral da Igreja Diocesana é “uma Igreja que agradece”, dizemos “obrigado” com a vida a todos os que nos legaram a fé, os que a fortaleceram, os que, mesmo às escondidas (como S. Sebastião) foram capazes de fortalecer a fé dos argelenses, de que o cruzeiro plantado no chão que todos pisam é testemunho! As cerimónias são no dia 21 deste mês.

Presépio comunitário em Argela

Presépio comunitário em Argela

​​

 (Ver pdf em anexo)