João Carlos Simões e Pedro Marinho disputam liderança do PS-Arcos

As eleições do PS à Comissão Política de Arcos de Valdevez, que decorrem no próximo dia 19 de janeiro, vão ser disputadas por João Carlos Simões e Pedro Marinho, concorrentes ao lugar que Dora Brandão, em fim de mandato, deixa “vago” na Concelhia do Partido Socialista.

Sob o mote “Construir a alternativa”, João Carlos Simões promete “unir” o PS-Arcos. Abrir o partido à sociedade civil é o outro pilar que sustenta a sua candidatura.

Com o lema “Mudança”, Pedro Marinho declara que a sua candidatura responde à urgência do desafio: “reestruturar o partido e militar gente, porque o PS de Arcos de Valdevez parou no tempo”

A data-limite para pagamento de quotas dos militantes socialistas terminou quinta-feira, 4 de janeiro.

João Carlos Simões

João Carlos Simões: “Queremos apaziguar o partido”

Quando é que tomou a decisão de assumir uma candidatura à Comissão Política do PS-Arcos?

A decisão de avançar foi tomada há algum tempo, por volta de meados de outubro, mas só em dezembro é que foram feitos os contactos com vista à formalização da candidatura, que resulta de um projeto partilhado.

Qual a primeira medida que vai tomar caso seja eleito?

Começar a preparar as próximas eleições [autárquicas], apaziguar o partido e trabalhar para fazer chegar a mensagem aos arcuenses. Todos juntos, temos de dar um sinal de força.

Disse que pretende apaziguar o partido… Reconhece, portanto, que o PS-Arcos tem estado dividido? Como é que vai conseguir a “reconciliação”?

Sim, é claro que o PS de Arcos de Valdevez está dividido. Sempre houve e haverá dissonâncias de pontos de vista, mas, depois das eleições, é importante unir o partido o mais possível. Como? Através da renovação, sem cortar com a experiência. E, dentro da renovação, é importante manter os mais velhos, capitalizando, de igual modo, as dinâmicas da Comissão Política, da Assembleia Municipal…

Com que apoios conta?

A minha candidatura tem o apoio de Dora Brandão, Madalena Alves Pereira, Vítor Sousa, Carlos Amaral, Isabel Araújo, José Pereira, Joel Coelho, entre outros… Volto a frisar: o objetivo destas pessoas é unir o partido em torno da experiência e da juventude.

O facto de ter o apoio dos elementos que protagonizaram o pior resultado de sempre nas autárquicas arcuenses não pode “colar” a sua candidatura a uma ideia de fracasso?

Não, discordo… Dora Brandão foi uma excelente candidata do PS à Câmara Municipal, fez uma campanha magnífica e com visão, simplesmente “pagou” as fortes divisões no seio do partido. Tudo jogou a desfavor do PS, portanto.

Que comentário lhe merece a candidatura de Pedro Marinho?

Vamos ter dois candidatos à Comissão Política do PS-Arcos. É público que não me revejo na candidatura de Pedro Marinho. Entre nós, sem existir animosidade, há algum distanciamento.

 

João Carlos Simões

. Idade:30 anos.

. Formação académica: 2.º ano do internato em Medicina.

. Militante do PS desde 2014.

. Atual deputado municipal.

Pedro Marinho

 

Pedro Marinho: “É preciso mudar e reestruturar o partido”

Porque é que se candidata à Comissão Política do PS?

Decidi candidatar-me porque entendo que o PS-Arcos precisa de mudar. Quero protagonizar a mudança. O PS não tem evoluído dentro daquilo que era normal nos Arcos. Ou seja, temos de trabalhar e reestruturar o partido para aumentar a militância.

Que apoios é que tem recebido?

Há nomes de peso que apoiam a minha candidatura. Miguel Garcia, Fernando Cabodeira, Pedro Alves e António Maria Sousa são alguns dos nomes que estão com a minha candidatura, embora não façam parte da lista.

Mas alguns destes nomes de que fala não declararam apoio público a Pedro Marinho?

Os nomes que mencionei, podia referir outros, mas, por reserva, não vou adiantar mais ninguém, são apoiantes da minha candidatura, mas, reafirmo, não integram a lista que vai a votos.

Que expetativas acalenta para as eleições com base no retorno que tem recebido?

Há muita gente que está comigo para trabalhar e fazer algo importante em prol dos arcuenses. O feedback é bom, mas só me posso cingir aos militantes com as quotas em dia.

Qual a primeira medida se ganhar as eleições?

A primeira grande medida será reerguer o PS-Arcos, isto é, reestruturar e militar gente para recuperar o tempo perdido. O Partido Socialista de Arcos de Valdevez parou no tempo.

Mas Pedro Marinho é deputado municipal desde outubro de 2013… Não se sente corresponsável pelos recentes insucessos do PS nos Arcos?

As responsabilidades têm de ser assacadas, principalmente, à liderança e à estrutura que tem estado à frente dos destinos do PS de Arcos de Valdevez. Pessoalmente, fui eleito, sim, com grande honra, deputado em 2013 e sou militante do PS desde 2014. Na Assembleia Municipal, todos sabem, tenho feito um trabalho de questionamento importante, levantando questões relevantes para a vida dos arcuenses e dando sugestões a pensar no progresso de Arcos de Valdevez.

Como vê a candidatura de João Carlos Simões?

É saudável o surgimento de vários candidatos e não vejo motivo de crítica.

 

Pedro Marinho

. Idade:41 anos.

. Formação académica: Técnico Superior de Educação.

. Militante do PS desde 2014.

. Atual deputado municipal.