INL e ICVS iniciam colaboração para acelerar inovação em tecnologia médica

O INL - Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia e o ICVS - Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde, Escola de Medicina, UMinho, lançaram um novo modelo de colaboração através do "INL-ICVS Hackathon", que resultou no desenvolvimento de projetos realmente inovadores e com um claro valor para a sociedade.

"Com esta iniciativa multidisciplinar, e em linha com a economia circular de hoje e a partilha de conhecimento com a sociedade, contribuiremos para diminuir a distância que ainda separa a investigação em engenharia, baseada no desenvolvimento da tecnologia, da investigação médica altamente focada no doente", afirmou Lars Montelius, diretor-geral da INL.

Jorge Pedrosa, diretor da ICVS, enfatizou que "conectar cientistas altamente especializados e complementares das áreas da biomedicina, da engenharia, da física e da química é fundamental para acelerar a inovação em tecnologia médica".

Investigadores de ambas as organizações estão a trabalhar em conjunto em equipas interdisciplinares para abordar projetos de investigação focados no desenvolvimento de sensores ultra-sensíveis para o diagnóstico precoce e prognóstico preciso, bem como de terapêuticas personalizadas, para doenças como malária, doença inflamatória intestinal, depressão e cancro, e outras doenças neurodegenerativas. A cerimónia de lançamento decorreu hoje no INL.

Essa colaboração é o resultado do primeiro "Hackathon INL-ICVS", que envolveu um grupo de jovens investigadores; 15 do ICVS e 13 do INL. Cientistas de ambos os institutos juntaram os seus conhecimentos para promover e fortalecer as colaborações entre o INL e o ICVS.

"Ao dirigir a criatividade, a curiosidade e as mentes imparciais de uma nova geração de cientistas, esperávamos que os projetos fossem impulsionados pelas necessidades dos utentes e não pela mera capacidade tecnológica", acrescentou o diretor-geral da INL.

De acordo com Lars Montelius, "Os sólidos conhecimentos tecnológicos e de engenharia dos cientistas altamente qualificados do INL vão imprimir uma nova dimensão diferenciadora à investigação biomédica desenvolvida pelos cientistas da ICVS, criando sistemas inteligentes para a medicina personalizada".

Jorge Pedrosa, diretor da ICVS, enfatizou que "estar na vanguarda do desenvolvimento de futuros dispositivos médicos que revolucionarão o atendimento médico nos níveis preventivos e personalizados, requer uma mentalidade aberta e colaborativa entre centros de investigação de qualidade superior, de áreas complementares como ICVS e INL ".

As propostas que resultaram das sessões de trabalho foram apresentadas a um júri de cientistas seniores de ambas as instituições. Os conselhos do INL e do ICVS selecionaram as melhores ideias de projeto e ofereceram o seu apoio através de uma verba para o arranque. O passo seguinte é o desenvolvimento de planos experimentais preliminares de prova de conceito para validar as ideias.

Esta iniciativa continuará ao longo dos próximos anos com o objetivo de que as novas equipas desenvolvam as suas ideias colaborativas até um ponto de maturidade. Com este apoio, podem ser obtidos resultados preliminares para fortalecer a competitividade dos projetos em futuras rondas de financiamento público.