Hotel do Mezio encerrado há mais de três meses e sem as prometidas obras de expansão

O Hotel do Mezio (Casa do Mezio & Nature Hotel) encerrou no início de agosto com a promessa de alargamento e renovação, mas, passados mais de três meses, as obras ainda não arrancaram e não há esclarecimentos públicos do promotor.

Em comunicado publicado na página do Hotel do Mezio, conforme aviso datado de 28 de julho, isto é, em plena época alta, a gerência fez saber que a unidade ia encerrar, “por tempo indeterminado”, “para dar início às obras de remodelação e ampliação”.

A nota que a gerência postou há meses apelava, ainda, à criatividade dos (futuros) hóspedes. “Já se imaginou a dormir dentro de um “espigueiro”? E dentro de uma “mamoa”? Se gostava de ter uma experiência de hotel única no meio da natureza pura e selvagem, em 2018, vai ter a possibilidade de dormir no paraíso que se levanta” em Soajo, podia ler-se no comunicado.

De acordo com o plano de investimento do Grupo City & Country – Boutique Hotels, que detém, atualmente, a referida unidade hoteleira, e à luz do projeto aprovado pela Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, a obra licenciada previa a duplicação dos 25 quartos atuais. O plano de expansão contemplava, ainda, duas piscinas exteriores, outro bar e a ampliação do restaurante existente.

O projeto do Hotel do Mezio, como é do domínio público, foi financiado, originalmente, com ajudas comunitárias e, duas semanas antes do seu encerramento (temporário ou definitivo?), foi noticiado que a unidade tinha sido certificada pela Quercus com selo de qualidade para o Turismo Sustentável, apesar de não possuir a obrigatória estação de tratamento de águas residuais (ETAR) desde a entrada em funcionamento.

De resto, noutro plano, as rendas contratualizadas com os Baldios de Soajo continuam por liquidar.