Governo aprova candidatura de abastecimento de água a Merufe

O presente investimento consiste na construção de infraestruturas como rede de distribuição, estações e condutas elevatórias e reservatório em Santo André, chegando a aproximadamente 790 habitantes daquela freguesia do Vale do Mouro. Com esta empreitada, o concelho de Monção fica coberto em termos de abastecimento de água. Motivo de grande satisfação para Augusto de Oliveira Domingues que aponta novo objetivo: “Com o ciclo da água fechado, viramo-nos para o saneamento básico. Há trabalho feito mas muito ainda por fazer” adiantou.

No âmbito do Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), o governo português aprovou a candidatura de abastecimento de água à freguesia de Merufe apresentada pela Câmara Municipal de Monção. O investimento ilegível é de 944.546,67 €, sendo a taxa de comparticipação comunitária de 85%.

A presente operação consiste na construção de infraestruturas como rede de distribuição, estações e condutas elevatórias e novo reservatório em Santo André, abrangendo os lugares de Mosteiro, Palhares, Pica, Senra, Pretos, Salgueiro, Pias, Pereiras, Santo André, Azevedo, Campo Longo, Parada, Fundevila, Ribeiro, Carvalhas, Paço do Quinteiro e Real.

Os lugares abrangidos nesta candidatura correspondem à zona baixa de Merufe que ainda não se encontra servida pela rede de abastecimento de água ao domicílio, chegando a aproximadamente 790 habitantes daquela freguesia do Vale do Mouro através de duas redes de distribuição com reservatórios em Merim e Santo André.

O reservatório de Merim, já existente, vai abastecer as populações dos lugares de Mosteiro, Palhares, Pica, Senra, Pretos, Salgueiro, Pias e Pereiras numa extensão total de 14,199 metros, fornecendo água, através de condutas adutoras a construir, ao futuro reservatório de Santo André.

Este servirá diretamente os lugares de Santo André, Azevedo, Campo Longo, Parada, Fundevila, Ribeiro, Carvalhas, Paço do Quinteiro e Real ao longo de uma rede com a extensão de 18.380 metros. As condutas adutoras serão instaladas sob caminhos e estradas existentes, partilhando em grande parte do trajeto da mesma vala que as redes de distribuição.

“Uma obra fundamental para a elevação da qualidade de vida das populações dos lugares abrangidos” afirma o autarca local, Augusto de Oliveira Domingues, satisfeito com o facto de “o concelho de Monção ficar coberto em termos de abastecimento de água ao domicílio”. “Fechamos o ciclo da água e agora o nosso objetivo vira-se para o saneamento básico. Há trabalho feito mas muito ainda por fazer” adiantou.

A propósito, refira-se que o governo português aprovou recentemente o financiamento das candidaturas apresentadas pela autarquia monçanense para o saneamento básico em Mazedo, Cambeses, Longos Vales, Troviscoso e Troporiz. O investimento consiste na construção de infraestruturas de saneamento de águas residuais, incluindo a rede de drenagem de saneamento residual, estações e condutas elevatórias.