Consultório de Saúde (Dr. Tiago Araújo)

O meu marido tem paralisia do nervo facial. Tem recuperação?

(Pergunta enviada via e-mail por Cláudia Fernandes, Viana do Castelo)

O nervo  é comprimido à medida que passa através da porção de canal labiríntico facial, o que resulta em isquemia e paresia. O mecanismo provável é o edema do VII nervo craniano (facial) decorrente de distúrbio imune ou viral. A infecção pelo vírus do herpes simplex é a causa mais comum; outros como  vírus coxsackievírus,  citomegalovírus, adenovírus e vírus de Epstein-Barr. Os músculos faciais são afretados. A paresia desenvolve-se em horas e  é máxima em 48 a 72 h.

Os pacientes podem queixar-se de dormência ou sensação de peso na face. No lado afectado  a capacidade de franzir a testa, piscar e fazer caretas é limitada. O  diagnosticado é feito  com base em avaliação clínica. Não existem testes diagnósticos específicos. Na paralisia idiopática do nervo facial, a extensão do dano do nervo determina o resultado. Se restar alguma função, em geral ocorrerá recuperação total em alguns meses. Estudos de condução nervosa e eletromiografia são feitos para ajudar a prever o resultado. O ressecamento da córnea deve ser prevenido com o uso frequente de lágrimas artificiais, corticóides. Se iniciados dentro de 48 horas após o início, resultam em uma recuperação mais rápida e mais completa, administradas drogas antivirais eficazes contra o vírus do herpes simples.