Colóquio Internacional de Arquitetura Popular

Iniciativa, dedicada a Santo António de Vale de Poldros, lugar de montanha da freguesia de Riba de Mouro, concelho de Monção, realiza-se entre 30 de março e 2 de abril de 2016. Organização conjunta da Câmara Municipal de Monção e Centro de Investigação em Arqueologia, Urbanismo e Design, da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa.

 

A arquitetura e as estruturas de povoamento de origem popular são um dos mais ricos elementos do património cultural de uma sociedade. No presente, muitas dessas estruturas encontram-se numa situação de abandono ou acelerada decadência, sendo fundamental uma aposta clara na sua preservação e valorização.

Com essa finalidade, a Câmara Municipal de Monção e o Centro de Investigação em Arqueologia, Urbanismo e Design, da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa, organizam, entre 30 de março e 2 de abril de 2016, um coloquio internacional de arquitetura popular dedicado a Santo António de Vale de Poldros, lugar de Riba de Mouro, freguesia de Monção.  

Este colóquio internacional, que abordará diferentes temáticas, tem como objetivo geral “explorar” a realidade de Vale de Poldros e provocar uma reflexão séria sobre o estado da arte de investigação em arquitetura popular. A programação pode ser consultada no seguinte endereço: https://coloquioarqpopular.wordpress.com

Entre outras particularidades, os conferencistas internacionais vão debruçar-se sobre a necessidade de implementação de medidas de salvaguarda, estratégias coerentes de intervenção e soluções de natureza social, económica e arquitetónica que permitam a reintegração deste património na vida das comunidades e a sua potenciação enquanto veículos de promoção turística.

1

3

A branda de Santo António de Vale de Poldros é um conjunto arquitetónico de inestimável valor patrimonial, constituindo um ótimo exemplo de povoamento de transumância: povoados de montanha para onde os vigias (brandeiros) levavam o gado durante os meses de verão, descendo novamente às suas povoações de origem, as inverneiras, a partir de Setembro.

Nos tempos mais recentes, estas atividades agrícolas e pastoris foram perdendo importância e, com as novas gerações, praticamente abandonadas. Em paralelo, as construções em Santo António de Vale de Poldros foram sendo transformadas em segundas habitações, de lazer e de férias, muitas vezes deturpando a sua arquitetura original.

Apesar disso, o grande valor patrimonial deste núcleo de povoamento e de muitas das suas construções ainda permanece, justificando-se um esforço para a sua salvaguarda e valorização. Além da sua importância sob o ponto de vista cultural e social, estas zonas podem desempenhar um papel relevante como motor de desenvolvimento económico e turístico.

 4