Coleccionador vianense tem 254 mil calendários de bolso

Carlos Conceição, um reformado de 78 anos, tem um carinho muito especial pela sua colecção de calendários de bolso. Cuidadosamente guardados, ao longo de 10 anos, numas pastas com separadores plásticos onde criteriosamente com datas e por temas (desporto, terras, dragarias, restaurantes, política, etc.), vai colocando os calendários, foi mostrando ao MD a sua ‘menina de olhos’.

Sempre gostou de coleccionar e chegou a ser filatélico, depois passou para as esferográficas e, finalmente, optou pelos calendários. Questionado sobre se não se sente tentado a expor publicamente, Carlos Conceição põe isso de parte. «Dá muito trabalho, nem pensar!»

Alguns exemplares são oferecidos por amigos que sabem deste seu hobby, mas a grande e esmagadora maioria consegue indo de loja em loja em prospecção. Há que reconhecer que juntar 254 mil, é obra!

2