Carlos Morais Vieira vetado pelos órgãos nacionais do PSD e Costa troca as voltas na lista do PS!

Na sequência da realização das Eleições Legislativas que se aproximam, têm decorrido ao longo das últimas semanas, por todo o país, os processos de elaboração das listas de candidatos à Assembleia da República. Ontem, reunida a Comissão Política Nacional do PSD, tudo ficou resolvido. Houve um volte-face e não há volta a dar!

Mas no PS, as coisas não estão pacíficas. Ontem houve reunião em Paredes de Coura. Há nomes substituídos, ainda na 'ressaca' da guerra entre Costistas e Seguristas.

Saiba porquê, como e conheça as surpresas ...

No PSD, os estatutos determinam que o nome do cabeça de lista é decidido pelo presidente do partido e os restantes são propostos pela Comissão Política Distrital, depois de ouvidos os militantes, através das secções Concelhias, da Assembleia Distrital e dos órgãos distritais dos Trabalhadores Social-democratas e da JSD, no sentido de indicarem nomes de potenciais candidatos.

Foi conhecida no passado dia 27, a escolha do cabeça de lista, que determinou a recondução de Carlos Abreu Amorim.

Entre os social-democratas do distrito, o nome que mais sobressaiu foi o do atual deputado Eduardo Teixeira, indicado por quatro estruturas (enquanto que todos os outros foram indicados apenas por uma).

Apesar do apoio expresso pela maioria dos militantes laranja, é conhecida a ‘guerra pessoal’ que o actual presidente da Comissão Política Distrital, Carlos Morais Vieira, mantém com o deputado. E, supostamente, foi essa guerra que fez com que o nome de Eduardo Teixeira tivesse sido retirado da lista por Morais Vieira, disponibilizando-se ele próprio para integrar a lista em 2º lugar.

No entanto, Calos Morais Vieira viu o seu nome ser vetado pelos órgãos nacionais, não podendo por isso fazer parte da lista de candidatos.

Fontes próximas das estruturas nacionais garantem que Eduardo Teixeira recolhia também a preferência e a total confiança de Passos Coelho. Mas o presidente da distrital Morais Vieira mostrou-se inflexível, ameaçando com demissão da estrutura que preside, o que, em véspera de eleições, poderia trazer problemas à ‘máquina laranja’.

A solução encontrada pelos órgãos nacionais, foi a escolha de Campos Ferreira para ocupar o segundo lugar da lista de Viana do castelo.

Militantes do PSD do distrito, ouvidos pelo Minho Digital, garantem que «a guerra pessoal de Carlos Morais Vieira se sobrepôs à vontade expressa pela grande maioria dos militantes do distrito, fazendo que os dois primeiros lugares da lista fossem ocupados por candidatos que não residem no distrito. Se a isso juntarmos o facto de o seu nome ter sido vetado pelos órgãos nacionais, só resta a Carlos Morais Vieira demitir-se de presidente da presidência da Comissão Política Distrital». «Um presidente de uma Distrital que vê o seu nome vetado pelos órgãos nacionais, não tem condições para continuar em funções, pelo que a sua demissão será a única forma de garantir alguma acalmia para que a campanha eleitoral possa decorrer com alguma serenidade, em todos os concelhos do distrito», afirma a mesma fonte.

A lista de candidatos aprovada pelos órgãos nacionais do PSD, onde além da ausência dos atuais deputados Eduardo Teixeira e Rosa Maria Arezes, se nota a falta de representação de metade dos concelhos dos distrito, entre os quais os dois maiores – Viana do Castelo e Ponte de Lima - fica assim organizada da seguinte forma:

PSD 1

PSD 2

PSD 3

1-      Carlos Abreu Amorim

2-      Luís Campos Ferreira

3-      Emília Cerqueira (Arcos de Valdevez)

4-      Abel Baptista (CDS/PP)

5-      António Teixeira Rodrigues (presidente Distrital da JSD e dos Arcos de Valdevez)

6-      Liliana Silva (Caminha)

7-      Jorge Américo (Monção)

8-      lugar reservado ao CDS/PP (?)

9-      André Rodrigues (Paredes de Coura)

10-  Lugar reservado ao CDS/PP (?)

11-  Alberto Vila (Valença)

Mais em:

http://www.minhodigital.com/news/social-democratas-limianos-reunidos-em-plen%C3%A1rio-chamam-%E2%80%9Crato%E2%80%9D-carlos-morais-vieira-e-pedem-sua

........................................................................................................................................................

COMISSAO POLITICA DISTRITAL DO PS REUNIU DE EMERGÊNCIA

Noite quente,ontem, em Paredes de Coura!

 

            O líder do Partido Socialista, António Costa apresentou à Comissão Política Nacional uma lista final de candidatos a deputados diferente daquela que tinha sido aprovada pelo Secretariado e Comissão Politica da Federação. Segundos os estatutos, o líder máximo do partido tem direito a 1/3 da lista, tendo a mesma sido cumprida pela escolha de Tiago Brandão Rodrigues, cientista conceituado para cabeça-de-lista do partido.

Sucede que depois de aprovada a lista nos órgãos distritais nada seria de esperar que esta tivesse alterações, com a inclusão da actual deputada Sandra Pontedeira ( Vila Nova de Cerveira) em detrimento da eleita Dora Brandão (Arcos de Valdevez). Assim, de acordo com fonte ligada ao processo a Comissão Politica Distrital do PS reuniu, ontem, num clima tenso, de elevada crispação para discutir o assunto em causa.

Dora Brandão

Dora Brandão dos Arcos de Valdevez, tida como Segurista, foi vetada por António Costa

            Segundo fonte do MD, a reunião à porta fechada teve momentos tensos, de enorme crispação, com uma revolta muito grande por parte dos Comissários Políticos distritais e com um abrir de feridas que nunca tinham sido totalmente saradas na luta nacional das primárias.

Contactados diversos membros da Comissão Politica nenhum se mostrou disponível para prestar declarações e muitos deles mostraram-se «desiludidos e tristes com este processo», não negando o mal-estar que se vai vivendo dentro do partido. Um dos membros contactados afirmou, contudo, que o actual Secretário-Geral do partido, António Costa «agiu de má-fé, abrindo uma crise sem precedentes na história do partido distrital e que agora vai ser difícil ultrapassar tudo aquilo que foi feito».