Arcos de Valdevez: Oficinas inspiradas no Padre Himalaya vão transformar antiga escola em centro de ciência

O projeto “Oficinas de Criatividade Himalaya”, no montante de 1,5 milhões de euros sensivelmente, começa a ser materializado pelo Município arcuense em 2018, ano em que se assinalam os 150 anos do nascimento do cientista natural de Cendufe. Para a prossecução da iniciativa, de que resultará a reabilitação da antiga escola secundária, foram, já, autorizados três procedimentos administrativos de ajuste direto e aprovado o projeto de execução para recuperação do referido imóvel.

O primeiro procedimento, pelo valor base de 70 633 euros (IVA), refere-se ao fornecimento e instalação do equipamento de projeção e som no espaço Himalaya 360. Trata-se de um sistema de elevada resolução e lente Fisheye 360º (“Olho de peixe 360º), com som envolvente e sistema integrado de gestão de conteúdos.

O segundo conjunto de recursos tecnológicos e informáticos de última geração diz respeito ao fornecimento de conteúdos e equipamentos para o Núcleo Interpretativo Himalaya (NIH), corporizado na Sala 4, sob a denominação de “As suas ideias hoje” (área apontada aos contributos do cientista arcuense para a atualidade), num investimento calculado até 71 138 euros (acrescidos de IVA). A verba destina-se ao desenvolvimento e produção integral do antedito espaço, repartido pelos módulos “Sol”, “Cidade do Futuro” e “Botânica”.

Himalaia

Himalaia

Himalaia

De acordo com o Município, através destas ferramentas, concretizar-se-á “o estudo sobre a vida e a obra do Padre Himalaya”; “a coordenação científica”; “a assessoria científica por especialistas da área”; “o fornecimento de todos os conteúdos em português e inglês”; “a cenografia, o software e o hardware de cada um dos módulos”; “o sistema de backoffice (“retaguarda”) para todas as soluções com conteúdos de texto, imagem e vídeo”; “o sistema de acesso remoto a todas as soluções multimédia”; “as licenças de utilização de imagens, vídeos e software a instalar no NIH”; e “a assistência técnica”.

Pelo preço base de 70 mil euros (sem IVA), foi aberto o terceiro procedimento para o fornecimento e conceção do Labirinto Himalaya. Este investimento permitirá fazer o inventário de conteúdos sobre as viagens do padre-cientista, assim como o estudo e criação do conceito visual de todos os elementos que integram o Labirinto.

Himalaia

Himalaia

A volta ao mundo (França, Estados Unidos, Argentina…) do visionário Padre Himalaya, recorde-se, teve o seu maior reconhecimento, em 1904, com o Grande Prémio da Exposição Universal de St. Louis (Estados Unidos) e, entre as suas invenções, sobressai, desde logo, a exploração do sol, com a pioneira máquina solar (pirelióforo), apresentada, justamente, nessa feira mundial. Fazendo jus a esta descoberta, o espaço exterior do Labirinto, para além de outros equipamentos de uso livre, vai incorporar uma réplica em tamanho natural do pirelióforo.

Por outro lado, foi deliberado, pela Câmara, aprovar o projeto de execução para reabilitação do antigo liceu, assim como as peças do respetivo procedimento concursal, e autorizada a abertura de concurso público, sem publicação no Jornal Oficial da União Europeia, pelo valor base de 1 180 134 euros.

De referir que o grande desígnio do projeto é gerar iniciativas inspiradoras visando a difusão do conhecimento multidisciplinar (Energia solar, Ecologia, Ecossustentabilidade, Botânica…) de Manuel António Gomes (Padre Himalaya) e o desenvolvimento socioeconómico de Arcos de Valdevez.