Arcos de Valdevez: MPV participa no desenvolvimento do novo Falcon 5X

A empresa arcuense Mecânica de Precisão do Vez (MPV), ligada à indústria aeronáutica principalmente, participou no desenvolvimento do Falcon 5X, o novo jato executivo da prestigiada Dassault Aviation (sediada em França). A aeronave iniciou testes de voo preliminares na primeira semana deste mês de julho.

Por ter colaborado nos trabalhos de desenvolvimento do Falcon 5X, a MPV recebeu, recentemente, mensagens de felicitações dos clientes Dassault e Safran. Para o edil João Manuel Esteves, “é uma satisfação ter nos Arcos de Valdevez empresas que estão a participar em projetos de envergadura como é o caso deste [relativo à Dassault]”.

De acordo com o portal da fabricante francesa, o Falcon 5X terá capacidade para “transportar 16 passageiros”, em voos intercontinentais, até uma “distância de 9630 quilómetros”, podendo “ligar, sem escala, Los Angeles e Londres ou Paris e Pequim”.

O Falcon 5X, com cerca de 25 metros de comprimento e 26 metros de envergadura de asas, beneficia “de um novo perfil aerodinâmico” e está dotado de tecnologias idênticas às aplicadas no caça Rafale (avião de combate). Tem dois motores (Snecma Silvercrest da fabricante Safran) e uma cabine de nova geração, com dimensões robustas (a mais alta e a mais ampla da indústria), o que faz deste jato uma referência no mercado da aviação de negócios. A Dassault garante que os consumos de combustível são inferiores a qualquer avião da respetiva classe.

Os testes de solo do Falcon 5X realizaram-se em 2015, mas, devido a atrasos no seu desenvolvimento, a entrada em funcionamento foi adiada de 2018 para 2020. Fruto dessas contingências, só na primeira semana de julho se realizou o primeiro voo da aeronave (duas horas) e, atualmente, está em curso uma campanha de testes que terá a duração de algumas semanas, com uma versão preliminar dos referidos motores Snecma Silvercrest. Estes ensaios são considerados imprescindíveis para a “simplificação do processo de desenvolvimento”, segundo a imprensa especializada.

Se tudo correr como o previsto, os testes de validação e certificação de voo serão realizados no próximo ano, devendo a Safran entregar, dentro de alguns meses, os motores certificados em respeito às especificações da Dassault.

De referir que a MPV tanto fornece a indústria aeronáutica como a defesa e saúde. Mas, como o próprio nome indica, a mecânica de (alta) precisão é a primeira área de atividade da MPV. Da unidade sediada em Padreiro Salvador saem, por exemplo, manetes de potência de Airbus, peças metálicas dos capacetes com raios infravermelhos e punhos de comando para um modelo de helicóptero.

 

Outras empresas com conhecimento

Mas a capacidade de inovação do tecido empresarial instalado no concelho de Arcos de Valdevez não se resume à MPV. Também a Coindu, a Sarreliber e a Poligal, por exemplo, se inspiram na qualidade e na tecnologia de ponta para vingarem, cada vez mais, nos mercados competitivos da indústria automóvel e da cromagem.

Na Coindu (Padreiro), avultam, por exemplo, os estofos em couro e vários outros componentes para marcas de renome como BMW, Audi e Mercedes.

A Sarreliber (Mogueiras) produz cerca de 80 milhões de peças por ano para o ramo automóvel (grande variedade de produtos cromados para uso interior e exterior de carros).

Já a Poligal possui, nos Arcos (Mogueiras), uma das melhores e mais modernas fábricas da Europa no setor de películas para embalagens de produtos alimentares (filme de polipropileno). 

A capacidade produtiva destas unidades realça o impacto do investimento feito no ramo da indústria transformadora, assim como a importância de captação de investimento para a criação de emprego com capacidade exportadora.

 

Foto: Dassault Aviation