Arcos de Valdevez: festa do rio dedicada às comunidades no exterior

É um clássico nas Festas do Concelho. Desde 1981 que Zé Mokuna é o mentor dos barcos alegóricos, cuja serenata, este ano, por recomendação de Nuno Soares, é consagrada à comunidade arcuense espalhada pelo mundo.

O tema, “Diáspora”, diz muito aos homenageados e aos arcuenses em geral com família, amigos ou conhecidos em países como a França, a Suíça, a Alemanha, os Estados Unidos, o Canadá, o Brasil e a Venezuela, que estarão representados neste “desfile” do rio Vez por símbolos tão emblemáticos como o Arco do Triunfo (Paris), a Estátua da Liberdade (Nova Iorque) ou o Cristo Redentor (Rio de Janeiro).

Visto pela maioria como o momento alto das Festas do Concelho, o “número” do rio está a ser trabalhado na oficina onde Zé Mokuna dá largas à imaginação, concebendo, aí, autênticas obras-primas, fruto de um meticuloso trabalho de carpintaria, escultura e pintura.

Há 36 anos seguidos a elevar o concelho de Arcos de Valdevez, o multifacetado artista arcuense tem contado, em tempos recentes, com a preciosa ajuda do filho Nuno, cada vez mais apto a seguir as pisadas do progenitor.

Depois do efeito positivo que resultou da introdução de ecrãs gigantes no ano transato (edição que, de modo inédito, também teve música e locução ao vivo), a serenata de 2017 vai assinalar a estreia dos barcos de ferro em rendição das velhas embarcações de madeira.

A serenata do rio está reservada para o último dia das Festas, 13 de agosto, pelas 23.00.