Pedofilia

Pedofilia

Policialmente: pedofilia

PJ

Vitor Bandeira

(Inspector-Chefe aposentado da Polícia Judiciária)

 

Quando me foi pedido que colaborasse neste Semanário, foram-me propostos vários e diversos temas, sendo-me dada liberdade de escolha e oportunidade da sua apresentação. Tendo em conta os escândalos relativos à pedofilia e à molestação de crianças a que tenho assistido através dos meios de comunicação social, nomeadamente, este ultimo caso que foi noticiado em Arcos de Valdevez, resolvi abordar o tema de abuso sexual de menores, com as limitações que o espaço editorial permite.

Pedófilia: professor de Ponte da Barca ‘ataca’ aluna nos Arcos de Valdevez?

Um professor de Ponte da Barca a dar aulas na EPRALIMA em Arcos de Valdevez, teria violado uma aluna de menor idade, há cerca de 2 meses, embora continue a lecionar. O indivíduo, a rondar os 40 anos, já não seria a primeira vez que vê o seu nome envolvido nestas práticas, falando-se em 5 casos anteriores que conseguiram ser abafados. Uma dessas vítimas estava recolhida num asilo de órfãos e outro dos casos sucedeu em Ponte de Lima, chegando a ficar suspenso por 18 meses do ensino.

No entanto, nenhum destes casos chegou a Tribunal dado que, nestas situações, normalmente e para defesa das crianças por parte dos pais e professores em cargos de chefia, o processo não é participado às autoridades, logo não chega ao foro judicial.

Pedofilia: Professor suspenso e Inspectora em campo!

As notícias dos  indícios sobre um professor da EPRALIMA por suspeita de actos sobre alunas que se encaixam no perfil de actuação comportamental de pedofilia, caíram como uma ‘bomba’ em Ponte da Barca e Arcos de Valdevez, e não só, já que o sujeito também em tempos tinha dado aulas em Ponte de Lima.

Aliás, nesta localidade, decorria o ano 2012/13 e terá andado a aliciar alunas. O expediente era sempre o mesmo e encaixava perfeitamente com o modus operandi: procura saber se a criança adolescente tem namorado, como vai o ambiente em casa, se há falta de afectos e normalmente nos intervalos das aulas convive muito proximamente com as suas pretendidas ‘presas’, valendo-se do ascendente sobre estas. Noutros casos terá chegado a mostrar vídeos no computador em locais de pouca luz.

Subscreva RSS - Pedofilia